28.1.13

Causa Grisalha

Ao Grupo Parlamentar do PSD

Um amigo meu fez o favor de me alertar para uma afirmação proferida por um Sr. Deputado do vosso Grupo Parlamentar, a qual integrava componente associada à noção de "peste grisalha", referindo-se naturalmente à população sénior do nosso país.
Deduzo que o Sr. Deputado estaria a falar de todos os que tenham cabelos brancos, independentemente da idade que tenham, pois ficar grisalho não é apanágio somente dos maiores de 65 anos, ainda que esta seja o foco da atenção de S. Ex.º (costumo dizer, em jeito de brincadeira, que á velocidade que os homens tendem para brancos (grisalhos) as mulheres tendem para louras ou morenas, sem que isso deixe de significar que o grisalho não esteja lá por baixo (a pintura retoca muito); mas presumo que a perspicácia do representante do povo português lhe permita estar atento a estas cambiantes...).
Associado à informação vinha um texto de Maria Virginia Machado da APRe!, datado de 19.1.2013, que circula via mail e Facebook (que me dispenso de anexar, porque palpita-me já ser do vosso conhecimento), e na qual era questionado (entre outras coisas), se o Sr. Deputado, nascido nos idos de 1968 seria fruto de geração espontânea, dado tanto verberar a geração grisalha.
Confesso que perante o tema, tive curiosidade de saber algo mais e fui pesquisar. Fiquei então a saber que a afirmação fazia parte de artigo publicado em 10 Janeiro 2013, e que a mesma se enquadrava na defesa da reforma do Estado Social que o Governo e os partidos da maioria advogam. Li-o com atenção e do mesmo, respigo os pontos que sublinho a negrito, no texto abaixo:

 ....Segundo estimativa do INE, em 2050 cerca de 80% da população do país apresentar-se-á envelhecida e dependente e a idade média pode situar-se perto dos 50 anos. A nossa pátria foi contaminada com a já conhecida peste grisalha.
....Além de ser o pior da Europa, Portugal é um dos três ou quatro países piores do mundo em taxa de natalidade (1,2 filhos por mulher, sendo a taxa de reposição geracional de 2,1). O último ano em que houve substituição de gerações foi em 1982 (já lá vão 20 anos).
...Tenho para mim que o verdadeiro problema da nossa envelhecida sociedade não está no envelhecimento da sua população. Está no que os sucessivos governos não mudaram desde que a sociedade começou a envelhecer.
Carlos Peixoto
Advogado e deputado do PSD  

Comecemos pela expressão
"A nossa pátria foi contaminada com a já conhecida peste grisalha".
Bom, para mim, "contaminar" significa que algo está bem mas por efeitos de contágio se torna mau. Ora não consigo perceber como é que alguém considera que a idade se contamina. Infelizmente, o calendário não pára e o avanço da idade é irreversível. Obviamente que se pode sempre impedir que as pessoas envelheçam, liquidando-as antecipadamente, mas presumo que tal medida não esteja integrada nas opções retidas por V. Exas.
O segundo aspecto está ligado com a noção de "peste". Segundo o dicionário Priberam da Língua Portuguesa, os significados da palavra podem ser:

 peste
(latim pestis, -is)
s. f.
1. Doença epidémica grave, infecto-contagiosa, provocada por um bacilo, em que a pele é geralmente atacada de bubões ou de úlceras.
2. [Medicina] Doença que causa grande mortandade.
3. [Figurado] Mau cheiro. = FEDOR
4. Coisa perniciosa ou funesta. 

Ou seja, estamos perante algo que pode ser fatal, grave, que pode gerar muitos mortos, etc, etc...Será que a peste grisalha foi assim tão má para as gerações actuais? Não me consta que tenha havido para aí nenhuma mortandade!!!
O Sr. Deputado tem assim tão má ideia da geração grisalha? Com nasceu em 1968, terá agora 44 anos, o que quer dizer que os seus pais devem ter cerca de 65 anos (palpite) e, se ainda não estão, irão estar grisalhos um destes dias. São assim tão perniciosos à sociedade portuguesa?

Passemos à Taxa de natalidade
Segundo o Sr. Deputado, Portugal tem uma das mais baixas taxas de natalidade do mundo, quedando-se por 1,2 filhos por mulher. Presumo que esteja a falar do que se denomina de Índice Sintético de Fecundidade (ISF; mede o número de filhos por mulher em idade fértil (dos 15 aos 49 anos), o qual segundo o portal PORDATA reportando-se ao censo de 2011 é de 1,36 (na UE 27 foi de 1,59 em 2009). O Jornal Expresso, na excelente reportagem (Raios X à despesa de pensões) publicada no dia 26 de Janeiro de 2013, indica que o número de filhos por mulher é de 1,32 (em 2010).
Eu sei que de 1,36 ou 1,32 para 1,2 a diferença é pouca. Mas como é para assustar (quanto menos pior), de onde é que saiu o dito número???
E por último abordemos o tema "Está no que os sucessivos governos não mudaram desde que a sociedade começou a envelhecer".
Ora aqui está uma afirmação digna de registo. Não sei desde quando é que o Sr. Deputado exerce a actividade parlamentar, mas nos seus 44 anos já viu passar muitos governos no comando da pátria, e de certeza que se apercebeu que o enfoque nos mesmos não está na promoção da natalidade, mas no seu inverso. Na procura desmedida de controlar e destruir o Estado Social, os sucessivos governos, incluindo os do PSD, tudo têm feito para retirar aos jovens casais qualquer veleidade a terem filhos, podendo-se considerar como verdadeiros heróis todos os que optam por ter mais do que um (e sei do que falo, porque o meu filho resolveu ter dois filhos!!!), confrontados como são com a total ausência de políticas de apoio, de suporte na educação e na doença, etc, etc.
É a isto que o Sr. Deputado se está a referir? Ou só está a pensar em cortar nas reformas da "peste grisalha"? Ou quer mesmo atirar com pedras para cima do seu governo?
Em síntese, o Sr. Deputado, na sua ânsia de defender a "dama governativa", não teve qualquer pejo em ofender os 2 010 064 cidadãos maiores de 65 anos (segundo o censo de 2011), ainda que o foco devam ser os 3,58 milhões de pensionistas (Expresso, 2013.01.26), o que engloba os acima de 65 e uma percentagem dos que estarão, quase de certeza, entre os que têm mais de 55 anos, ainda que a nível político seja fácil encontrar "jovens reformados" com idades bem inferiores às acima mencionadas (mas aí não convém tocar).
E não me consta que o Grupo Parlamentar do PSD tenha verberado as afirmações de um dos seus membros (mesmo que fale a titulo individual, quando se identifica como advogado e deputado do PSD, está a incluir o partido na questão), nem que tenham sido apresentadas desculpas aos Portugueses.
O que muito lamento, mas as acções ficam para quem as pratica!
Cumprimentos

Fernando Chasqueira
(integrante da "peste grisalha")