16.9.15

Como foi a sessão pública da campanha "Uma volta pelo VOTO" promovida pela APRe! em Coimbra

Na passada 2.ª feira, dia 14 de Setembro de 2015, realizou-se na Casa Municipal da Cultura, em Coimbra, uma sessão de esclarecimento com a intervenção de diversos partidos, tendo como tema principal questões relacionadas com a segurança social e as pensões de reforma. 

A sala aonde se realizou a sessão foi pequena para conter a enorme enchente de participantes, associados da APRe! e público em geral, numa inequívoca demonstração de que os reformados estão preocupados e prontos para agir, face às ameaças que se prefiguram com crescente nitidez.

Os diversos oradores manifestaram o seu agrado pela iniciativa destes debates integrados na campanha "Uma volta pelo Voto" organizados pela APRe!. O resumo das intervenções dos diferentes participantes que a seguir apresentamos, é feito por ordem alfabética.







Helena Freitas do PS, referiu que o direito à Segurança Social é inabalável não podendo ser posto em causa como ultimamente se tem verificado, provocando a perda de confiança que é sentida pelos portugueses no Sistema de Pensões, mormente os reformados. A Segurança Social é dos seus contribuintes que depositaram no Estado toda a confiança. O PS garantirá a reposição dessa confiança, para além do valor que é a solidariedade entre gerações num estado democrático. Assumiu o compromisso da reposição dos apoios sociais aos mais idosos nos valores anteriores ao actual governo.

José Pureza do BE centrou a sua intervenção nos direitos das pessoas idosas e nas respostas concretas que têm de ser dadas pelo poder político. O direito à reposição dos cortes das pensões é inquestionável. O direito à saúde e á habitação entre outros são direitos fundamentais dos idosos. Referiu ser contra a redução da TSU pois vai provocar uma redução das receitas da Segurança Social, pela reposição das pensões cortadas e pela convergência das pensões mais baixas com o salário mínimo nacional.

José Reis do Livre/TA lançou a questão sobre que tipo de sociedade estamos ou queremos construir quando as políticas sociais se submetem a interesses financeiros dos privados e se assiste à tentativa de comprometer o sistema público da Segurança Social. 

Manuel Rocha do PCP referiu-se à precariedade de emprego, à emigração e à fuga de responsabilidades como principais factores das políticas que estão a ser seguidas. As receitas da Segurança Social foram francamente afectadas por este estado de coisas. Questionou igualmente o facto de o estado social ter sido construído sobre os escombros da 2ª Guerra Mundial e como é possível hoje que há tanta riqueza se põem em causa esse estado social. Afirmou igualmente o seu total desacordo na redução da TSU e no plafonamento das pensões.

Margarida Mano da coligação PàF fez uma brevíssima alusão ao período difícil inicial que condicionaram as iniciativas do actual governo, verificando-se francas melhorias no último ano. Os princípios que defende são humanistas e de solidariedade e o futuro da Segurança Social passará por acordos a médio e longo prazo. Hoje são visíveis muitos aspectos positivos que foram sendo construídos ao longo destes dois últimos anos pelo actual governo e isso permite acreditar num sonho que não será imediato mas num futuro próximo. 

Marinho e Pinto do PDR, começou por falar no contrato social entre os estado e os cidadãos, apontando a dupla dimensão do Estado Social, cidadania e direitos humanos, salientando que um estado moderno não é caridade. Referiu igualmente que se a coesão social for quebrada o estado desmorona-se. O que se verificou com este governo e com as políticas de cortes foi uma violação da dignidade humana. A solidariedade é um imperativo ético-político dos estados modernos. Manifestou-se igualmente contra o plafonamento referindo que é injusto e que os estado não tem que se submeter aos mercados.

A sessão encerrou com a intervenção da Presidente da APRe! Rosário Gama, referiu entre outras questões a participação da APRe! a nível autárquico na defesa dos cidadãos idosos, o Caderno Reivindicativo elaborado pela APRe! já apresentado aos partidos, agradecendo no final aos presentes a sua colaboração nesta sessão da campanha “Uma Volta pelo Voto” que a APRe! está a levar a efeito, 

Para um informação mais detalhada sobre as diferentes intervenções, a seguir inserimos vídeos pela mesma ordem dos resumos, vídeos disponibilizados no YouTube pelo Notícias de Coimbra.