22.10.15

A GERAÇÃO GRISALHA JUNTOU-SE HÁ 3 ANOS

A APRe!, no dia 22 de outubro de 2012, deu corpo a um Movimento que aglutinou a “Geração Grisalha”, na sequência do que na semana anterior o Governo havia “esfaqueado” nesta tão nobre e respeitada geração.

Pela primeira vez, o Governo apresentou na AR uma lei do Orçamento de Estado para 2013 que contemplava medidas de carácter fiscal discriminatórias e que visavam um desenfreado ataque àqueles que ajudaram a crescer este País, a consolidar a democracia e a acrescentar valiosos contributos para o desenvolvimento económico, bem como para a consolidação do Estado Social.

Através de uma “fantasia fiscal” denominada CES – Contribuição Extraordinária de Solidariedade, o Governo procurou “expropriar” e espoliar aqueles que viram a sua carreira contributiva tratada como um mero episódio de percurso, subavaliando todas as contribuições sociais, financeiras e esforços individuais e coletivos.

“Demos as mãos” e espalhámo-nos por todo o território continental e insular, e em poucos meses éramos milhares a dinamizar e a levar bem alto o nome da APRe!. As adesões cresciam diariamente e cada vez mais diversificadas.

Fomos a todas as instâncias de “poder”, Assembleia da República, Presidência da República, Partidos Políticos, Provedoria de Justiça, Parlamento Europeu e a todos quanto pudessem influenciar a informação que queríamos “fazer passar” e onde pudéssemos denunciar quanta violência fiscal e discriminatória nos tinha atingido.

Ganhámos muitos dos combates que travámos e contribuímos com oportunidade para que a decisão do Tribunal Constitucional tivesse alterado a legislação sobre a CES, e impedindo outras decisões que igualmente visavam atingir a nossa geração. São exemplos os chumbos sobre a “Convergência das pensões da CGA com as do CNP”, as “Pensões de Sobrevivência” e a Reposição dos 13º e 14º meses”.

A APRe! percorreu e quer continuar a percorrer os caminhos da defesa da Geração Grisalha, não permitindo novos “atropelos” e relembrando sempre a Resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas de 1991, sobre o “Respeito pelos Idosos”, nomeadamente a defesa da Dignidade.

Vamos manter-nos alerta, continuaremos a participar em organizações nacionais e internacionais que nos permitam a defesa e o respeito pela nossa geração, sempre norteados pelos princípios da Justiça e Solidariedade.

Precisamos crescer, queremos crescer e vamos crescer! Vamos querer a parceria de outras importantes Associações para reforço de valores e objetivos comuns.

Fernando Martins
Vice-Presidente da APRe!