1.2.16

O insuportável peso da desigualdade



A credível e prestigiada organização não-governamental Oxfam publicou os últimos dados sobre a desigualdade social no mundo, imediatamente antes da realização do Fórum Económico Mundial de Davos.

Vale a pena sumariar alguns dos pontos do relatório:
  • A riqueza acumulada por 1% da população mundial foi, em 2015, equivalente ao património dos 99% restantes.
  • As 62 pessoas mais ricas acumularam o equivalente à riqueza dos 50% mais pobres da população mundial (em 2010 eram 388 pessoas).
  • Um em cada nove seres humanos não tem o suficiente para comer.
  • Mais de mil milhões de pessoas ainda vivem com menos de 1,25 dólares (pouco mais de um euro) por dia.
Estes números e a sua evolução falam por si. A desigualdade na distribuição dos bens é avassaladora e tende ainda a ser mais cavada. A crise por que vem passando o mundo agudizou a situação, tornando os ricos mais ricos e os pobres mais pobres. Os paraísos fiscais continuam inamovíveis e a corrupção alastra endemicamente. Vivemos perigosos tempos de “politeísmo” de dinheiro, poder, nacionalismos e integrismos.

Como há 70 anos já protestava Gandhi, “há riqueza suficiente no mundo para as necessidades do homem, mas não para a sua ambição”.

E o que nos legou Davos na sua conferência deste ano? Silêncio, tão-só.

António Bagão Félix
http://blogues.publico.pt/tudomenoseconomia/2016/01/29/o-insuportavel-peso-da-desigualdade/