4.3.17

#offchorar

Até me apetecia escrever qualquer coisa a atirar para o futuro, mas a atualidade teima em remeter-me para a juventude. Quem não se lembra de escutar coisas como "o computador enganou-se" ou "a culpa é do computador", sempre que éramos vítimas de um erro? Normalmente, em postos dos correios, repartições de finanças, escolas e outros serviços. Estas desculpas constituem uma espécie de clássico dos finais da década de 1980, na esteira da mira técnica da TV, as maquinetas de fazer iogurtes ou os leitores de cassetes. Mas os anos passam e a coisa não muda. Pelo menos, na política, sendo que, admito, posso estar a ser injusto, no caso de se tratar apenas de um emocionante acompanhamento da onda revivalista. Direto ao assunto: então não é que o ex-diretor-geral do Fisco Azevedo Pereira deu a entender que a falta de controlo no sistema de transferências de dinheiro para "offshore" no Panamá se deve a um erro informático? A responsabilidade do hardware, 30 anos depois, continua a sair da cartola. Pena é que estes lapsos privilegiem sempre uma minoria e penalizem uns 10 milhões. Mas, está visto, como quem não "offchora" não mama, o melhor é os portugueses não deixarem morrer o assunto.

Vitor Santos
Opinião JN 04.03.2017