8.11.17

Coleções de museus e monumentos nacionais vão ficar 'online' através do Google

As coleções dos museus, palácios e monumentos nacionais tutelados pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) vão integrar uma plataforma 'online', no âmbito de um acordo que será assinado na quinta-feira com o Google Cultural Institute.

Um comunicado do gabinete do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, indica que o acordo com a Google será assinado às 17:30, no pátio do Palácio Nacional da Ajuda.

No âmbito deste acordo para a entrada das coleções nacionais na plataforma 'online', que inclui "prestigiadas organizações culturais de todo o mundo", a parceria vai abranger, numa primeira fase, os acervos de sete museus nacionais: Arqueologia, Arte Antiga, Arte Contemporânea/ Chiado, Traje, Teatro e Dança, Azulejo e Coches.

Até ao final de 2018 alargar-se-á ao conjunto dos museus, monumentos e palácios sob alçada da DGPC, adianta a tutela.

 D. Sebastião

Retrato de D. Sebastião


De acordo com o comunicado, serão conteúdos em alta resolução que passarão a estar permanentemente acessíveis online e beneficiarão ainda da inclusão em exposições virtuais temáticas, possibilitando o enquadramento das coleções nacionais em contextos internacionais.

O Google Cultural Institute irá assegurar o uso da tecnologia para digitalização de conteúdos em ultra resolução, a visualização virtual de interiores e a captura de imagens panorâmicas.

"Estes recursos, que corporizam novas formas de fruição artística e de acesso ao conhecimento, posicionam Portugal na vanguarda da conquista de audiências globais em ambiente digital", sublinha o gabinete do ministro da Cultura.

O acordo insere-se no âmbito dos objetivos da Ação Cultural Externa, designadamente a projeção da cultura portuguesa no exterior, "permitindo uma divulgação universal das obras de arte de excelência dos museus nacionais", acrescenta.

Já em junho deste ano, o projeto We wear culture, do Google Cultural Institute, foi disponibilizado na Internet com testemunhos de 3.000 anos de moda mundial, reunindo instituições como os museus portugueses do Traje e do Teatro e da Dança.

Neste projeto, os dois museus portugueses estavam entre mais de 180 instituições mundiais envolvidas no projeto We wear culture- As histórias por trás do que vestimos".

O protocolo vai ser assinado numa cerimónia presidida pelo ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, e contará com a presença do presidente da Google EMEA (Europa, Médio Oriente e África), Matt Brittin, e da diretora-geral do Património Cultural, Paula Silva.

Lusa
Ler mais em DN de 08/11/2017