28 de fevereiro de 2018

espectáculo A Longa Noite de Camilo


A Longa Noite de Camilo

Texto e encenação Pedro Estorninho
Co-produção TEatroensaio, TNSJ


Teatro Carlos Alberto

28 de Fevereiro | 3 de Março
Quarta a Sexta-feira às 21:00
Sábado às 19:00


Para reservas e informações sobre o espectáculo, por favor, contacte a bilheteira:
Tel.: 22 340 19 00
Linha verde: 800 10 8675 (grátis a partir de qualquer rede)

E-mail: bilheteira@tnsj.pt
www.tnsj.pt


25 de fevereiro de 2018

Cuidadores de idosos já têm uma linha que os apoia

Associação de Alzheimer e clínica de Coimbra tiram dúvidas e dão apoio psicológico

"É complicado lidar com doenças do foro psiquiátrico. Por vezes é difícil saber como agir e atuar em termos de medicação, por exemplo." Júlia Seiça, de 56 anos, cuida da mãe, de 88, que sofre de depressão há várias décadas. Há dias mais calmos, mas por vezes surgem "momentos críticos", sobretudo quando há outra doença associada. É nessas alturas que a professora bibliotecária recorre à linha telefónica de apoio a cuidadores da Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra, onde a mãe é acompanhada. "Nas últimas semanas liguei várias vezes porque surgiu uma infeção respiratória e foi necessário alterar a medicação", conta ao DN.

Desde junho do ano passado que a Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra tem uma linha telefónica (939 324 289) através da qual presta apoio aos cuidadores dos seus doentes e a todos os que queiram obter esclarecimentos sobre demência e outras patologias do foro psiquiátrico. Um serviço semelhante ao que é disponibilizado pela associação Alzheimer Portugal desde 2015, através do número 213 610 465, cujo objetivo é prestar esclarecimentos imediatos sobre a demência e apoio psicológico a cuidadores. No ano passado, a linha respondeu a mais de 2800 chamadas.

"Nos doentes idosos, em situações de défice cognitivo, surgem muitas vezes episódios agudos inesperados e os cuidadores ficam sem saber o que fazer. A resposta tradicional é levar a pessoa às urgência ou chamar o INEM. Nós pretendemos ajudar a resolver a situação evitando que o doente vá ao hospital", explica ao DN Joaquim Cerejeira, diretor clínico da Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra. Refere-se, por exemplo, a episódios de agitação, insónia, alteração do estado mental, "por vezes desencadeados por infeções respiratórias".

Há também cuidadores que colocam dúvidas relacionadas com os efeitos secundários da medicação, a duração do tratamento ou mesmo sobre como lidar com o doente. São atendidos por enfermeiros especializados em saúde mental que, caso seja necessário e se o doente for seguido na clínica, encaminham a chamada para um médico. Uma resposta "fácil e eficaz", destaca o psiquiatra, que apoia os cuidadores no período entre as consultas.

Ana Margarida Cavaleiro, diretora do departamento de formação e projetos da Alzheimer Portugal, destaca que "estes são projetos da máxima importância porque muitos cuidadores sentem-se isolados. É bom saberem que há alguém do outro lado da linha para os ouvir, ajudar, dar estratégias." Muitas vezes, lamenta, os próprios familiares também ficam doentes, tanto física como psicologicamente. "Dão tanto de si que descuram a sua própria saúde."

Ao aperceberem-se de que muitos cuidadores estavam "muito deprimidos e cansados", os responsáveis pela Alzheimer Portugal resolveram criar a linha de apoio. "Tentamos dar resposta a todo o tipo de pedidos. Se o doente não quer comer ou tomar banho, por exemplo, damos estratégias para o cuidador ir tentando", explica Ana Margarida.

Os cuidadores, lembra Joaquim Cerejeira, estão "numa posição delicada", pois têm de lidar com a demência "24 horas por dia e com muitas situações inesperadas a acontecer".



Joana Capucho
Diário de Notícias 2018-02-25

22 de fevereiro de 2018

Teatro S. João: MACBETH de William Shakespeare

MACBETH | TEATRO SÃO JOÃO | 21 FEV - 11 MARÇO

Este espectáculo será apresentado no Teatro Nacional São João, nos dias 21 de Fevereiro a 11 de Março.

quarta-feira e sábado, às 19h00
quinta e sexta-feira, às 21h00
domingo, às 16h00

Macbeth 
De William Shakespeare
Encenação, cenografia e figurinos Nuno Carinhas
Produção TNSJ

Para reservas e informações sobre o espectáculo, por favor, contacte a bilheteira:
Tel.: 22.340 19 00
Linha verde: 800 10 8675 (grátis a partir de qualquer rede)
E-mail: bilheteira@tnsj.pt
www.tnsj.pt

Não esquecer que, ao abrigo do Protocolo cada associado da APRe! e um acompanhante, caso adquira(m) o(s) bilhete(s) com 48 horas de antecedência terá(ão) 50% de desconto. Se for num período inferior às 48h usufrui(em) de 5€ de desconto, em cada bilhete.


21 de fevereiro de 2018

Teatro: "EU USO TERMOTEBE E O MEU PAI TAMBÉM"

O Núcleo de Coimbra está a organizar uma ida ao teatro.
Vamos ver a peça "EU USO TERMOTEBE E O MEU PAI TAMBÉM" que estará em cena no Teatro Gil Vicente nos próximos dias.

A peça é da autoria e encenação de Ricardo Correia.

8 e 9 de Março - 21.30 horas
Preço: 7 €

Pedido de reserva de bilhetes até ao dia 27 de Fevereiro:



O Núcleo de Coimbra

12 de fevereiro de 2018

Governo aprova proposta de lei para proteger cidadãos mais vulneráveis

O Conselho de Ministros aprovou uma proposta de lei que estabelece um novo regime jurídico do maior acompanhado, substituindo os institutos da interdição e da inabilitação.

Na conferência de imprensa após a reunião, a Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, afirmou que esta iniciativa vem corresponder «à satisfação de uma necessidade socialmente sentida em vários setores da população».

O comunicado do Conselho de Ministros refere que a proposta visa «permitir uma proteção condigna não só das pessoas idosas mas de pessoas de qualquer idade em estado de vulnerabilidade duradoura, que careçam de proteção, seja qual for o motivo que determine essa vulnerabilidade».

A Ministra referiu que o sistema antigo «limitava muito a capacidade de intervenção judicial e defesa de pessoas carecidas de apoio», acrescentando que esta proposta permite uma «tomada de decisão concreta em função daquilo que sejam as necessidades específicas de apoio».

«É um sistema mais flexível, mais dúctil, mais rápido e que vai seguramente responder melhor às necessidades de muitas famílias portuguesas afetadas», disse Francisca Van Dunem.

O comunicado refere ainda que «no modelo proposto o juiz pode agora dar uma resposta específica e individualizada, adequada à situação específica da pessoa a proteger». Através desta solução, pretende-se «assegurar que a pessoa vulnerável possa manter o maior grau de autonomia possível».

Ver mais no Portal do XXI Governo Constitucional

Magma

Magma

No Limite da Selvajaria



Criação e interpretação Flávio Rodrigues

Co-produção Flávio Rodrigues, TNSJ

Este espectáculo  será apresentado no:

Teatro Carlos Alberto

15 a 17 de Fevereiro
Quinta e Sexta-feira às 21:00
Sábado às 19:00

Para reservas e informações sobre o espectáculo, por favor, contacte a bilheteira:

  • Tel.: 22.340 19 00
  • Linha verde: 800 10 8675 (grátis a partir de qualquer rede)
  • E-mail: bilheteira@tnsj.pt 
  • www.tnsj.pt

Não esquecer que, ao abrigo do Protocolo cada associado da APRe! e um acompanhante, caso adquira o bilhete com 48 horas de antecedência terá 50% de desconto. Se for num período inferior às 48h usufrui de 5€ de desconto. 


4 de fevereiro de 2018

Visitas Guiadas à Exposição "Do Outro Lado do Espelho"





DELEGAÇÃO APRE! LISBOA







Dando continuidade ao trabalho desenvolvido pelo grupo informal "apre.cultura", desenvolveu-se mais uma actividade neste âmbito.

Desta vez a organização recaiu em Visitas Guiadas à Exposição "Do Outro Lado do Espelho", a decorrer no Museu Gulbenkian, até à próxima 2ª feira, 5 de Fevereiro.



Esta exposição reúne um conjunto de obras que vão do século XIII até à actualidade e que são provenientes de colecções privadas ou de museus como o Thyssen Bornemisza, o Centro de Arte Reina Sofia (Espanha), o Centre Pompidou e os Museus de Beaux Arts de Bordeaux e de Lille (França), o Fitzwilliam Museum e a Tate (Reino Unido) e das duas colecções do Museu Gulbenkian.

O elevado número de inscrições fez com que, em vez de uma visita guiada tivessem sido organizadas 3, das quais deixamos aqui alguns momentos, que pretendem ser um pequeno resumo do que vimos, dos reflexos que nos interpelam e de algumas obras.
Para além da arte, também o convívio foi interessante











2 de fevereiro de 2018

CGD: Comissões voltam a aumentar e penalizam pensionistas

Mais jovens vão pagar pela manutenção de conta à ordem a partir de maio, mas levantamentos nos balcões também vão ter custos agravados - neste caso, os mais idosos são os mais penalizados.

O aviso estava feito há muito e acabou por concretizar-se no arranque deste ano: a Caixa Geral de Depósitos (CGD) aumenta pela terceira vez as comissões cobradas aos clientes, incidindo agora sobre os clientes mais jovens e, indiretamente, também os pensionistas, noticia o Público na sua edição de hoje.

No primeiro caso, os clientes mais novos passam a pagar uma taxa pela manutenção de conta à ordem. Mas quem fizer levantamentos de dinheiro ao balcão do banco ou recorrer à ‘caderneta’ (prática ainda bastante comum entre pensionistas e clientes mais idosos) também vai pagar comissão — isenção só se aplica para quem tem pensões até 835,50 euros..

O objetivo do banco é, assim, empurrar os clientes para um maior dos cartões de débito e de crédito e outros recursos que não impliquem deslocações às dependências bancárias. Também os serviços financeiros feitos por empresas no estrangeiro são, igualmente, atualizados a partir de junho. No outro caso, o agravamento dos custos para os mais jovens e também idosos chega em maio deste ano.

Conforme explica o jornal a título de exemplo, a comissão de manutenção da conta de depósito à ordem no banco público é de 4,95 euros (5,148 euros com imposto de selo) e, segundo as contas da Deco, o valor médio desta comissão nos cinco maiores bancos (BPI, BCP, CGD, Novo Banco e Santander) é de 5,28 euros.

Questionado na quarta-feira no Parlamento sobre o aumento das comissões por parte do banco do Estado, o secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, argumentou que o nível de encargos cobrados pela Caixa aos seus clientes continua a ser inferior ao verificado em outros bancos,

O novo agravamento das comissões coincide com o primeiro ano de gestão de Paulo Macedo na CGD. Um ano em que as contas devem fechar já com o registo de um aumento de comissões cobradas face ao valor de 350 milhões de euros em 2016, um valor a conferir esta sexta-feira quando o banco apresentar os resultados de 2017.

Já sob a liderança do ex-ministro da Saúde, antigo administrador do CBP e que foi Diretor-geral dos Impostos, a CGD passou a promover mais as chamadas “contas-pacote”, que reúnem vários serviços com um custo único e dificultam a comparação das comissões cobradas.

Ler em Observador de 2018-02-01

1 de fevereiro de 2018

Vão ser criadas 30 novas unidades de saúde familiar

USF foram criadas em 2005 e também prestam cuidados primários de saúde

Trinta novas unidades de saúde familiar (USF) vão ser abertas este ano e cerca de 20 vão poder transitar do modelo A para o modelo B, segundo um despacho hoje publicado em Diário da República.

De acordo com o diploma, "o número de USF de modelo A a constituir no ano de 2018 é de 30" e "durante o quarto trimestre de 2018 transitam até 20 USF do modelo A para o modelo B.

Criadas em 2005, as USF foram fundadas como uma forma alternativa ao habitual centro de saúde, prestando também cuidados primários de saúde, mas com autonomia de funcionamento e sujeitas a regras de financiamento próprias, baseados também em incentivos financeiros a profissionais e à própria organização.

O modelo B de USF é uma forma mais evoluída de organização e está definido como aquele em que equipas com maior amadurecimento organizacional e maiores exigências de contratualização garantem maior disponibilidade para atingir níveis avançados de acesso para os utentes, elevado desempenho clínico e eficiência económica.

O despacho hoje publicado indica ainda que "fica ratificado o número de USF de modelo A autorizadas para o ano de 2017, que é de 23".

Esta ratificação significa uma confirmação de que foram autorizadas a abrir 23 unidades, segundo explicação de fonte oficial do Ministério da Saúde.

No mês passado, houve no Parlamento uma polémica sobre o número de USF abertas em 2017. O primeiro-ministro, António Costa, chegou a afirmar, em resposta ao CDS, que tinham aberto 23 USF, tendo a líder do CDS Assunção Cristas indicado que nenhuma foi "regularmente" aberta.

Hoje, no debate quinzenal no parlamento, António Costa referiu que foram criadas 18 USF em 2017 e aludiu ao despacho publicado hoje em Diário da República que ratifica as restantes cinco unidades.

Ler em DN 2018-02-01