18 de dezembro de 2019

Governo vai gastar 30 milhões para subsidiar cuidadores informais em 2020

No próximo ano, vão avançar projectos-piloto em todo o território nacional, pelo período de 12 meses, para enquadrar e apoiar as pessoas que cuidam de alguém dependente em casa, sem receber remuneração


 O Governo tenciona gastar 30 milhões de euros com subsídios a cuidadores informais no próximo ano, segundo a proposta de Orçamento do Estado para 2020. É a primeira vez que o executivo coloca no Orçamento uma verba destinada a apoiar as pessoas, geralmente familiares, que cuidam de alguém dependente em casa sem direito a qualquer compensação, mas não explica em que moldes esta irá ser gasta, apesar de se comprometer a regulamentar em 2020 o Estatuto do Cuidador Informal, que foi aprovado pelo Parlamento em Julho passado.

 Sobre esta matéria, o executivo revela apenas que vai avançar com projectos-piloto em todo o território nacional, pelo período de 12 meses, “para enquadramento e acompanhamento dos cuidadores, com respeito pela vontade das pessoas cuidadas, incluindo a atribuição de um subsídio de apoio ao cuidador informal principal, mediante condição de recursos (majorado no caso de acesso ao Seguro Social Voluntário)”. Estes subsídios destinam-se apenas a cuidadores com baixos rendimentos.


Ler mais aqui:publico. 2019.12.17 sociedade/noticia/governo


14 de dezembro de 2019

Não quero ser “uma idosa”!

Eu não quero ser “uma idosa”, quero envelhecer. Quero ser velha. Exactamente como antes fui criança, adolescente, jovem e como sou, hoje, uma mulher madura.

 ...Não quero que me tratem como uma criança, porque ainda que tenha de usar fraldas, ainda que a baba me escorra dos lábios, ainda que tropece nos meus próprios pés, eu não voltarei a ser criança.

... E tudo isto sendo velha. Desassombradamente velha, descomplexadamente velha, despreconceituosamente velha, normalmente velha e, sobretudo, distintamente velha. Velha sim, não “uma idosa”!


Ler mais: publico.2019/12/14 Não quero ser idosa

 

11 de dezembro de 2019

Reembolsos da ADSE estão com atraso? Governo aponta três causas

Em resposta enviada ao Notícias ao Minuto, o Ministério da Administração Pública refere que vai intervir nas causas, de modo a reduzir "o mais rapidamente possível" o período dos reembolsos.


 O subsistema de saúde dos funcionários públicos, a ADSE, está a reembolsar os beneficiários com um atraso de 90 dias, um prazo que tem vindo a crescer ao longo dos últimos anos. Em resposta às questões colocadas pelo Notícias ao Minuto o Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública (MMEAP), que tutela a ADSE, disse que foram identificados três fatores e que o Governo, a par dos serviços, vai intervir para reduzir este prazo.

As três causas identificadas pelo Ministério de Alexandra Leitão são a redução do número de trabalhadores, maior exigência na admissão de faturas e a introdução da apresentação de parecer médico a comprovar a necessidade clínica para a realização de um conjunto de atos médicos

Comunicado - Pedidos de Audiências

- PEDIDOS DE AUDIÊNCIAS às Sr.as Ministras do TSSS e da Modernização do Estado e da Administração Pública; - Audição da APRe! na 10ª Comissão da AR sobre a PETIÇÃO do CSI

 Na sequência das notícias que têm surgido sobre os aumentos das pensões para 2020, a Direcção da APRe! pediu, no passado dia 26 de Novembro, uma audiência à Sr.a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.
 Além do Caderno Reivindicativo da APRe! que será entregue pessoalmente, a Direcção considera de primordial importância manifestar o seu repúdio pela eventual aplicação da Lei nº 52 B/2006 que, a nosso ver, requer uma alteração urgente. Os aumentos que decorreriam da conjugação desta Lei e da inflação anunciada, a concretizarem-se, serão uma ofensa à dignidade dos aposentados, pensionistas e reformados. 
A Direcção da APRe! solicitou também uma audiência à Sr.a Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública devido à recente mudança de tutela da ADSE I.P., a quem será entregue um memorando sobre as questões que mais nos preocupam sobre o presente e sobre o futuro deste subsistema de saúde dos funcionários do Estado, tais como, o controlo de gestão, a autonomia financeira, o alargamento da base dos quotizados, as negociações com os prestadores de serviços de saúde, entre outros. 
Aproveitamos para informar que a audição na 10ª Comissão da Assembleia da República dos peticionários da Petição n.º 642/XIII/4.ª lançada pela APRe! sobre a alteração da legislação do Complemento Solidário para Idosos, vai decorrer no próximo dia 19 de Dezembro, cujo início está marcado para as 14 horas. 

9 de  Dezembro de 2019

 Pel’A Direcção 

Ângela Dias da Silva 

Vice-presidente

5 de dezembro de 2019

COMUNICADO SOBRE O AUMENTO DAS PENSÕES

A APRe! enviou uma “carta”, assinada pela Vice-presidente e Presidente da MAG, dirigida ao Sr. Primeiro Ministro, Sr. Ministro das Finanças, Sr.a Ministra da Segurança Social e Grupos Parlamentares, sobre os aumentos das pensões:

No debate parlamentar que ocorreu na AR no passado dia 27 de Novembro, quer o Governo, quer o Partido Socialista (suporte do Governo), quer os restantes partidos à esquerda do Governo, debruçaram-se (e bem) sobre os baixos salários dos trabalhadores, sobre os precários e sobre os desempregados de longa duração, tendo ficado “esquecido” o grupo dos reformados.

A pensão mais baixa de velhice, invalidez ou sobrevivência, paga pela Segurança Social em 2019 foi de 273,39 Euros pelo que existem milhares de reformados a sobreviver com pensões miseráveis.

Seria suposto que essas pensões tivessem um aumento compatível com a dignidade consagrada nos PRINCÍPIOS DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AS PESSOAS IDOSAS, constante da resolução 46/91 da Assembleia Geral das Nações Unidas, de 16 de Dezembro.

Mas há a Lei nº 53-B/2006 de 29 de Dezembro que regula os aumentos das pensões e faz depender esse aumento do valor da inflação e do crescimento económico acima de 2%.

A inflação, o PIB e da Lei referida limitam uma pensão de 400 euros a um aumento de 2,8 euros e uma pensão de 500 euros a um aumento de 3,5 euros mensais!

Perante esta realidade, que continua a empobrecer todos aposentados, pensionistas e reformados, impõe-se a aplicação de aumentos acima do que decorre da lei a todos os escalões de pensões e, em particular, no que concerne ao combate à pobreza dos reformados.

É imperativo um aumento extraordinário complementar das pensões mais baixas, tal como aconteceu nos últimos anos.

Sem isto, aumentará, cada vez mais, o fosso entre pensões mínimas e salários mínimos e não se poderá falar de combate à pobreza!

Mas é também imperativo que todos os aposentados, pensionistas e reformados recuperem o seu poder de compra que, desde os cortes abruptos nos anos da troika, ainda não foi recuperado.

Pel'A Direcção

Ângela Dias da Silva

3 de dezembro de 2019

Conferência no âmbito das Lojas do Saber

No  dia 6 Dezembro, pelas 18 horas irá realizar-se uma conferência no Exploratório em Coimbra,  subordinada ao tema “As novas Tecnologias e a "Construção" de Futuros” 



O orador convidado será:

António Betâmio Almeida, Professor Catedrático Emérito do Instituto Superior Técnico


2 de dezembro de 2019

Associação de Pensionistas considera “indignos” aumentos para 2020

 Associação de Aposentados, Pensionistas e Reformados (APRe!) considera “indigno” aumentos de pensões “de dois ou três euros mensais” e exige que a atualização das pensões em 2020 seja feita pelos mesmos padrões a aplicar aos trabalhadores. Numa reação ao valor provisório da taxa de inflação em Novembro, conhecido na passada sexta-feira, a Apre! refere que os indicadores “apontam para aumentos irrisórios das reformas até aos €877”, em 2020.

 

Associação de Aposentados, Pensionistas e Reformados (APRe!) considera “indigno” aumentos de pensões “de dois ou três euros mensais” e exige que a atualização das pensões em 2020 seja feita pelos mesmos padrões a aplicar aos trabalhadores. Numa reação ao valor provisório da taxa de inflação em ovembro, conhecido na passada sexta-feira, a Apre! refere que os indicadores “apontam para aumentos irrisórios das reformas até aos €877”, em 2020.


 

28 de novembro de 2019

A Comissão Instaladora da Delegação Tejo Sul da APRe! sensibiliza os reformados para a importância de se tornarem associados

Comissão Instaladora da Delegação Tejo Sul

A Comissão Instaladora da Delegação Tejo Sul da APRe! tem informado todos os associados do Distrito de Setúbal sobre as suas recentes actividades realçando, nomeadamente, a realização de um debate no Núcleo do Seixal sobre o Estatuto do Cuidador Informal que teve lugar na Junta de Freguesia de Amora e a presença de dinamizadores deste Núcleo nas festas anuais das várias freguesias do concelho com o objectivo de divulgar a acção da APRe! e de, através de contactos estabelecidos, sensibilizar os reformados para a importância de se tornarem nossos associados.

27 de novembro de 2019

Comunicado da Direcção sobre a Petição apresentada na AR relativa ao COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS



Caros (as) Associados (as)

 Informamos que recebemos da 10ª Comissão da Assembleia da República - Trabalho e Segurança Social - a nota de admissibilidade da Petição nº 642/XIII/4ª que apresentámos sobre a alteração da legislação relativa ao Complemento Solidário para Idosos. 

Abaixo transcrevemos o texto: 

"Encarrega-me o Exmo. Senhor Presidente da Comissão de Trabalho e Segurança Social, de informar de que a Petição que V. Exa remeteu, deu entrada na Assembleia da República, em 05.07.2019, tendo-lhe sido atribuído o nº 642/XIII/4.ª, foi admitida em 27/11/2019, e que esta se encontra, nos termos regimentais, para efeitos de apreciação e elaboração de Relatório Final, nesta Comissão de Trabalho e Segurança Social. " 


 Saudações 

Pel'A Direcção 
Ângela Dias da Silva 
Vice-presidente

26 de novembro de 2019

Delegação Regional de Lisboa: almoço comemorativo do sétimo aniversário APRe!



Caros Associados e Amigos,

Tal como tem acontecido em anos anteriores, a Delegação Regional de Lisboa, em colaboração com os seus Núcleos, promove um almoço comemorativo do sétimo aniversário da nossa Associação.

Ao longo destes sete anos da sua existência, a APRe! não só tem conquistado cada vez maior relevo na defesa dos aposentados, pensionistas e reformados a nível nacional, como também já é uma voz respeitada a nível internacional. A APRe! é já considerada um parceiro, não raras vezes consultado por instâncias nacionais e, modéstia à parte, à nossa Associação muito se deve o que já foi recuperado pelos pensionistas.

E se estes factos, só por si, constituem motivos para que celebremos o seu aniversário, assume especial significado fazê-lo nesta época festiva.

A força da APRe! será sempre aquela que os seus associados lhe conferirem e para que possamos reivindicar mais e melhores condições de vida para o nosso grupo etário, é essencial que sejamos muitos e unidos e que façamos passar essa imagem para o exterior.

O almoço vai realizar-se no dia 12 de Dezembro próximo, quinta-feira, pelas 12h30m no Restaurante Caravela de Ouro, Praça 25 de Abril, em Algés, com a presença de membros da Direcção.

Desafiamos todos os associados a comparecerem para que esta jornada de convívio possa contribuir para o fortalecimento dos laços que nos unem.

Para além da refeição, de que juntamos a ementa, haverá um momento cultural.

As inscrições deverão ser feitas até ao dia 09/12/2019, para apre.cultura.lisboa@gmail.com de acordo com as indicações que seguem em anexo.

Contando com a vossa presença,
Cordiais cumprimentos,

Vitor Ferreira
Delegado Regional de Lisboa




20 de novembro de 2019

7.º Congresso “Envelhecimento ativo e Saudável”em Coimbra

O isolamento e a insuficiência das respostas na área da saúde para os idosos que regressam a casa após internamento hospitalar foram realçados hoje pelos oradores de um debate realizado em Coimbra.

 

“Há ainda muita gente analfabeta e em situação de isolamento”, afirmou a professora reformada Maria do Rosário Gama, salientando que o problema atinge os idosos nas zonas rurais, mas também os que vivem nos grandes centros urbanos.
 A ex-presidente da Associação de Aposentados, Pensionistas e Reformados (APRe!) lembrou que, atualmente, pelo menos 40 mil idosos “estão a viver isolados” em Portugal, além de que a maioria deles aufere “pensões muito baixas”, inferiores ao salário mínimo nacional.


Notícias de Coimbra, 20.11.2019


18 de novembro de 2019

APRe! Notícias 12






Há mais de 41 mil idosos a viver sozinhos ou isolados

A Guarda Nacional Republicana (GNR) sinalizou 41 868 idosos a viverem sozinhos ou isolados em todo o país em Outubro no âmbito da operação "Censos Sénior", anunciou esta segunda-feira a guarda.
Em comunicado, a GNR adianta ter reportado 215 situações de maiores vulnerabilidades às entidades competentes, sobretudo de apoio social. Outros 4274 idosos receberam apoio de outras instituições, que não são especificadas pela guarda.
De acordo com os dados, o maior número de idosos identificados a viver sozinhos ou isolados foi no distrito de Vila Real (4736), seguido da Guarda (4183), Faro (3272), Viseu (3201), Portalegre (3147) e Bragança (3142). Em Lisboa foram identificados 626 idosos a viver sozinhos ou isolados e no Porto 1.026.

 

Ler mais aqui : No pais há mais de 41 mil idosos a viver sozinhos ou isolados

Lusa, 18.11.2019

17 de novembro de 2019

Visita de associados da APRe! - Delegação de Lisboa, ao Museu da Filigrana.

O Museu da Filigrana, localizado no Largo de São Carlos em Lisboa, apresenta a arte ancestral da manufactura da Filigrana em Portugal. É o primeiro espaço museológico no país exclusivamente dedicado à Filigrana. O Museu percorre a cronologia da evolução da filigrana em Portugal, recria o ambiente tradicional das oficinas familiares e integra as diferentes fases do processo desta arte.
 O interesse pela cultura portuguesa e o convívio entre todos os associados motivaram este evento que envolveu 60 associados da APRe! - Delegação de Lisboa, no passado dia 14 de Novembro.





5 de novembro de 2019

Nova política de taxas e comissões bancárias que a CGD pretende aplicar no início de 2020: comunicado à imprensa


Caros (as) Associados (as)

A nova política de taxas e comissões bancárias que a CGD anunciou para aplicar a partir do início de 2020, provoca um significativo aumento de custos para os clientes com menos rendimentos, nomeadamente os reformados, com um agravamento de 14%.

Por essa razão a Direcção da APRe! emitiu um comunicado à imprensa sobre o repúdio destas medidas.

Esta posição pública pode ser insuficiente para evitar a implementação dos referidos aumentos, pelo que a Direcção da APRe! remeteu também no passado dia 3 de Novembro, um mail para o Departamento de Supervisão Comportamental junto do Banco de Portugal, para o Conselho de Ministros e para os grupos parlamentares dos Partidos Políticos.

Nesse mail consideramos injusta e desproporcionada a actualização de taxas porque, em nosso entender, configura uma dualidade de critérios:

  • penalizar mais quem tem menos rendimentos e
  • contrariar as recomendações do Banco de Portugal de que não devem ser discriminados os clientes em função dos rendimentos ou do património, atingindo quem tem menos rendimentos e, também, a grande maioria dos Aposentados, Pensionistas e Reformados que recebem a sua reforma através daquela instituição bancária.


A APRe! reclama que sejam estabelecidos limites a estas medidas relativas ao custo dos serviços bancários em geral e do banco público em particular.

Oportunamente solicitaremos também uma audiência à Sr.a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social a quem entregaremos o nosso Caderno Reivindicativo e, entre outros assuntos que consideramos da maior importância, apresentaremos também a nossa contestação sobre os aumentos das comissões da CGD.

5 de Novembro 2019

Pel’A Direcção
Ângela Dias da Silva
Vice-presidente

31 de outubro de 2019

Recolha de assinaturas para a Petição sobre o Complemento por Dependência.

No passado dia 21 de Outubro, um grupo de associados da APRe! da Delegação de Lisboa organizou e levou a efeito mais uma recolha de assinaturas para a Petição sobre o Complemento por Dependência.
A acção decorreu nas imediações do edifício da Segurança Social.
Se ainda não assinou a petição pode fazê-lo em: peticaopublica.com



 

24 de outubro de 2019

Núcleo da APRe! em Cascais: sessão sobre ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL.

Realizou-se no passado dia 23 de Outubro, em Cascais, uma sessão sobre ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL.

A organização esteve a cargo do Núcleo da APRe! em Cascais e da União de Freguesias de Cascais e Estoril.

Para além de muitos associados da APRe!, assistiram também pessoas não associados e de diferentes gerações, o que é sinónimo do interesse e actualidade do tema.

No inicio dos trabalhos e na qualidade de Delegado Regional, Vítor Ferreira fez a apresentação formal da Associação, enumerando o que tem sido feito em prol dos aposentados, pensionistas e reformados e detalhando alguns dos principais momentos da intervenção pública da APRe!, salientando a sua importância nos de meios de comunicação social. Referiu ainda as audiências  com as instâncias do poder sempre que se solicitam sempre que se justifica e a necessidade do fortalecimento da APRe!, face a perigos que se anunciam.

Seguiu-se a Dra. Isabel do Carmo que fez uma apresentação sobre a nutrição e os cuidados a ter para uma vida saudável sublinhando alguns aspectos como:

  • Sermos dos países da Europa com menos tempo de vida saudável depois dos 65 anos;
  • A necessidade duma alimentação diversificada e com especial prudência na utilização das proteínas;
  • A importância das leguminosas, dos vegetais e do azeite como melhor fonte de gordura;
  • O consumo de hidratos de carbono com moderação;
  • A importância do leite e a alternativa dos yogurtes gregos e turcos para quem tem intolerância à lactose.

Insistiu ainda na importância do exercício físico recomendando que as pessoas caminhem, pelo menos, 30 minutos por dia.

O Dr. João Ramos abordou a problemática das doenças reumáticas dando conta dos valores que consomem do OE enumerando as cerca de 100 doenças que se inserem nesta especialidade, tendo para algumas delas traçado orientações sobre a forma de as combater ou mitigar.

Sublinhou a importância do termalismo e da sua relevância não na cura mas como complemento no tratamento, recomendando que quem possa fazer dois períodos de tratamentos anuais alivia bastante os sintomas.

Enumerou e deu conta em pormenor sobre as vantagens de cada uma das termas portuguesas para diferentes patologias.

Seguiu-se um vivo debate com os presentes, alguns dos quais aproveitando para colocar os seus casos particulares.







Sessão Debate promovida pela Delegação Norte da APRe!

A Delegação Norte da APRe! convida para a Sessão Debate  a realizar no próximo dia 29 de Outubro, pelas 14H30 horas, no Auditório da Fundação Manuel António da Mota (Praça do Bom Sucesso – Porto)com  Eduardo Castro, Professor Associado e Vice Reitor da Universidade de Aveiro, cujo tema é: 
“Crise da Segurança Social? As notícias da sua morte são manifestamente exageradas!”

A Segurança Social vai colapsar? Quantos seremos daqui a 30 anos?O aumento da fecundidade resolve os nossos problemas? Estas questões interessam a todos. Esta abordagem fornece respostas baseadas numa séria pesquisa, relacionando os indicadores da população com a evolução da economia, trazendo um novo olhar sobre a análise da demografia no nosso país, área privilegiada da sua investigação.

A Delegação do Norte ao promover esta iniciativa está convicta que poderá ser um alto momento de aprofundamento e esclarecimento desta matéria pela  qualidade do orador.







19 de outubro de 2019

Portugal será o país mais envelhecido da UE em 2050

Os cálculos são do Eurostat, o gabinete de estatística da União Europeia. 

Daqui a 30 anos quase metade da população portuguesa deverá ter mais do que 55 anos.
Em Itália, Bulgária, Lituânia ou Croácia as previsões apontam para pelo menos 45% de séniors.



O relatório do Eurostat mostra ainda que a idade mediana no espaço comunitário é de cerca de 41 anos, mas deverá aumentar quase 4 anos nas próximas 3 décadas.
A justificação é dada por uma quebra histórica das taxas de fertilidade, pelo aumento da esperança média de vida e, nalguns casos, pelos padrões de migração.

Fonte: Sic Notícias 19.10.2019 - Susana Vera



 

17 de outubro de 2019

Projecto Radar vai entrar na terceira fase, à procura de mais 14 mil idosos sozinhos em Lisboa

Cristiana Moreira

  

Projecto Radar vai entrar na terceira fase, à procura de mais 14 mil idosos sozinhos em Lisboa   

Na segunda fase do projecto Radar foram sinalizados mais de 11 mil idosos que vivem sozinhos, ou acompanhados por alguém da mesma faixa etária em Lisboa. Este é um projecto conjunto entre câmara e Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que arrancou no início do ano, e pretende identificar as pessoas com mais de 65 anos que estão mais isoladas e perceber em que condições o fazem, que necessidades têm e que respostas precisam para que tenham uma vida autónoma e confortável.

 



Depois de uma fase piloto, que chegou a 4500 idosos das freguesias dos Olivais, Areeiro e Ajuda, o projecto estendeu-se a mais nove freguesias – Santa Clara, Marvila, Alcântara, Arroios, Alvalade, São Domingos de Benfica, São Vicente, Beato e Parque das Nações.

Ler mais aqui: projecto-radar-vai-entrar-terceira-fase-procura-14-mil-idosos-sozinhos-lisboa
 

Publico.2019.10.16

14 de outubro de 2019

Idosos. De poços de sabedoria a consumidores de subsídios

Projetos Expresso. 
Pessoas com mais de 65 anos pertencem a um dos escalões etários mais vulneráveis num país classificado, nas listas dos mais envelhecidos, em quinto lugar no mundo e em quarto na Europa. E no top 5 de vítimas de violência 

 

"A nível mundial, somos o quinto país mais envelhecido”, adianta Teresa Rodrigues, autora do livro “Envelhecimento e Políticas de Saúde”, um retrato ao estado de saúde do país, demográfico, social e político, centrado no envelhecimento. A investigadora e coordenadora do programa Prospetiva e Planeamento Estratégico, do Instituto Português de Relações Internacionais, oferece outra perspetiva do fenómeno: “[O envelhecimento] tem uma conotação negativa, quando nos transmite também uma mensagem positiva. Uma sociedade envelhecida tem uma esperança de vida alta. A expectativa de viver muitos anos é aceitável e está certa, denota melhores cuidados de saúde, melhor índice de desenvolvimento humano”, disse ao Expresso.


 Fonte - André Rito, Expresso - 14.10.2019

10 de outubro de 2019

10 de Outubro de 2019 - NOTA À IMPRENSA




NOTA À IMPRENSA



A APRe! teve hoje conhecimento, através de notícia divulgada pelo jornal “Público” que, a partir de Janeiro de 2020, a Caixa Geral de Depósitos irá aplicar aumentos às comissões das “contas S”.

Estas contas, que substituíram as “contas reforma”, são já taxadas sabendo-se que, na sua grande maioria, são de pessoas de pensões de baixo valor.

Para além destes aumentos, anunciam-se também agravamentos do custo de serviços efectuados através da caderneta, nomeadamente, levantamentos ao balcão.

A APRe! repudia estas medidas e considera-as atentatórias da dignidade dos reformados, das pessoas de menores rendimentos e das pessoas mais velhas.

A APRe! não pode aceitar que haja dualidade de critérios ao penalizar quem tem menores rendimentos e ao favorecer quem tem maiores rendimentos, uma vez que se anunciam benefícios para contas de clientes especiais.

Não é aceitável que o banco público esteja, desta forma, a atingir aqueles que, por confiança e segurança continuam a acreditar que aquela instituição bancária é o garante dos seus pequenos rendimentos.



10 de Outubro de 2019


Pel’A Direcção da APRe!


Ângela Dias da Silva

Vice-presidente