26 de setembro de 2019

Não partilhe notícias falsas

Independentemente da aproximação do acto eleitoral, é cada vez  mais importante estarmos atentos a este flagelo, sobretudo nas redes sociais. Muitas vezes os títulos pouco ou nada têm a ver com o texto da notícia, daí a necessidade de ler tudo. Outro aspecto é procurar saber qual a fonte. Ninguém está livre de cair nestas ratoeiras! Na dúvida não partilhem!


Fonte: Comissão Nacional de Eleições

24 de setembro de 2019

Perguntas Frequentes: Voto em mobilidade / antecipado em Portugal

Eleição Legislativa

  1. Quem pode votar antecipadamente em mobilidade?
    Todos os eleitores recenseados no território nacional podem votar antecipadamente em mobilidade.
  2. O que é o voto em mobilidade e onde se exerce?
    O voto em mobilidade é o voto antecipado em local escolhido pelo eleitor (qualquer capital de distrito no continente ou de cada uma das ilhas das Regiões Autónomas).
  3. Os doentes internados e os presos podem votar antecipadamente?
    Sim, votam antecipadamente no estabelecimento hospitalar ou prisional onde se encontrarem.
  4. Quem vota antecipadamente vota sempre em mobilidade?
    Não. Os doentes internados e os presos podem votar antecipadamente no estabelecimento hospitalar ou prisional onde se encontrarem.
  5. Quero votar antecipadamente em mobilidade. O que devo fazer?
    Escolha o distrito ou ilha em que quer votar, e inscreva-se comunicando-o à administração eleitoral da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna e ainda:
    - Nome completo;
    - Data de nascimento;
    - Número de identificação civil;
    - Morada;
    - Endereço de correio eletrónico ou contacto telefónico
    A inscrição vai estar aberta no 2.º domingo anterior à eleição e nos 4 dias seguintes (entre o 14.º e o 10.º dias anteriores ao da eleição).
    No domingo anterior à eleição dirija-se à mesa de voto onde escolheu votar (na capital de distrito/ilha da Região Autónoma), leve consigo um documento de identificação, de preferência, o cartão de cidadão ou o bilhete de identidade e indique a freguesia onde está recenseado.
  6. Como é que voto antecipadamente em mobilidade?
    Identifique-se perante a mesa mediante apresentação do seu documento de identificação civil e indique a freguesia em que está recenseado.
    São-lhe entregues um boletim de voto e um envelope branco.
    Assinale a sua escolha no boletim, dobre-o em quatro, meta-o no envelope branco e feche-o.
    Este envelope é metido noutro azul onde vão ser escritos o seu nome e número de identificação civil e a freguesia e posto de recenseamento, se houver, em que está inscrito.
    Este envelope é fechado e protegido com uma vinheta cujo duplicado lhe vai ser entregue e serve de recibo.
  7. Inscrevi-me mas não consegui votar antecipadamente em mobilidade. Ainda posso votar?
    Sim. Pode votar, no dia da eleição, na assembleia ou secção de voto onde se encontra recenseado.
  8. Estou internado num hospital ou numa unidade de cuidados continuados. Posso votar antecipadamente? O que devo fazer e em que prazo?
    Sim, se o internamento incluir, pelo menos, o período entre o 13.º dia anterior ao da eleição e previsivelmente o dia da votação.
    Até ao 20.º dia anterior ao da eleição peça à administração eleitoral da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, por meios eletrónicos ou por via postal, para votar antecipadamente, indicando o número do seu documento de identificação civil (CC/BI) e juntando documento comprovativo do impedimento passado pelo médico e confirmado pela direção do hospital ou da unidade de cuidados continuados.
    Nos 4 dias seguintes ao 2.º domingo antes da eleição (entre o 13.º e o 10.º dias anteriores ao da eleição) o presidente ou vereador da câmara da área do estabelecimento hospitalar ou da unidade de cuidados continuados vai lá para que exerça o seu voto.
  9. Estou internado num lar. Posso votar antecipadamente?
    Não. O internamento num lar não determina por si só a incapacidade de deslocação à assembleia de voto, ainda que com o recurso a transporte especial, nos mesmos termos aplicáveis a doentes acamados no seu domicílio.
  10. Sou recluso num estabelecimento prisional. Posso votar antecipadamente? O que devo fazer e em que prazo?
    Sim.
    Até ao 20.º dia anterior ao da eleição peça à administração eleitoral da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, por meios eletrónicos ou por via postal, para votar antecipadamente indicando o número do seu documento de identificação civil (CC/BI) e juntando documento comprovativo do impedimento emitido pelo diretor do estabelecimento prisional.
    Nos 4 dias seguintes ao 2.º domingo antes da eleição (entre o 13.º e o 10.º dias anteriores ao da eleição) o presidente ou vereador da câmara da área do estabelecimento prisional vai lá para que exerça o seu voto.

    Fonte: Comissão Nacional de Eleições - 2019


23 de setembro de 2019

Notícias APRe! 10 - Setembro de 2019










Caminhada Solidária a favor da ACREDITAR

A APRe!, no cumprimento da sua missão de defesa dos valores da solidariedade intergeracional e de cidadania, saúda a Acreditar - Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro pela celebração do 25º aniversário que será comemorado no próximo dia 12 de Outubro. 

Ver video aqui;

 No âmbito das comemorações irá realizar-se uma caminhada solidária na qual todos poderemos participar.



22 de setembro de 2019

Um dia vamos querer votar e vão dizer que não podemos

Manuel Serrano



Quando grande parte dos cidadãos não exerce o seu direito a voto, corremos o risco de desnaturalizar pouco a pouco o sentido da democracia, até ao dia em que vamos querer votar, e para nossa surpresa, nos vão dizer que não podemos.






 A indiferença não constrói hospitais, não cria empregos e não combate as alterações climáticas. Mas tendo em conta as eleições europeias celebradas no dia 26 de Maio, a grande maioria dos portugueses parece estar convencida do contrário.

 No dia 6 de Outubro os eleitores têm um novo encontro marcado com o seu futuro. E tendo em conta o quadro político que se vive em Portugal, e a qualidade da anterior campanha eleitoral, não seria de estranhar que apenas 55% dos portugueses optassem por exercer o seu direito a voto. Se isso acontecer, temos razões para nos preocupar. Tal como é impossível ser livre sem imaginar a liberdade, é impossível viver num país melhor sem ser capaz de imaginar que país queremos.

Ler mais aqui: Um dia vamos querer votar e vão dizer-nos que nâo podemos

Jornal Publico 17.09.2019 

18 de setembro de 2019

Fundação Calouste Gulbenkian promove candidatura a projectos

Estão abertas as candidaturas a projectos que promovam o combate ao isolamento no envelhecimento, assente na autonomia e bem-estar.
Conheça os termos do concurso que decorre até 27 de Setembro.


As candidaturas destinam-se a instituições que actuam na área do envelhecimento com o objectivo de promover o desenvolvimento de projectos particularmente focados no combate ao isolamento das pessoas mais velhas, visando promover e facilitar um envelhecimento “em casa e na comunidade” (“ageing in place”) assente na autonomia, na participação social e na promoção do bem-estar individual.

Ver mais aqui: F.Gulbenkian.envelhecimento-na-comunidade

Fonte- Fundação Gulbenkian 

Conferência "Segurança Social em Democracia - O Futuro das Pensões"

Realizou-se no passado dia 13 a Conferência "Segurança Social em Democracia - O Futuro das Pensões" organizada pela Delegação de Lisboa com o apoio da Direcção da APRe!.
Os trabalhos foram iniciados por Vitor Ferreira da Silva, na qualidade de Delegado de Lisboa, referindo a importância do tema nesta altura da vida política portuguesa, explicando a ausência do Dr. Pacheco Pereira e agradecendo a todos a presença.

Fernando Martins, Presidente da APRe!, na sua intervenção realça que continua a ser oportuno falar das pensões e, sobretudo, debater as questões que definirão o futuro das pensões e da Segurança Social em democracia.

Aproveitou para agradecer à Delegação de Lisboa e aos associados que estiveram envolvidos o empenho na organização deste evento.

O Dr. José Luís Albuquerque, ao longo da sua palestra, explicou que, em seu entendimento, este tema deve ser abordado em diversas perspectivas, mais precisamente, sobre "o que sabemos, o que devíamos saber, o que explicamos mal e o que devíamos discutir melhor".

O Prof. José Castro Caldas iniciou a abordagem do tema com o que mais conta no financiamento da Segurança Social, para que serve a SS, a leitura que deve fazer-se do FEFSS e a importância do trabalho e do emprego na capacidade financeira da Segurança Social.

Seguiu-se um debate moderado por Betâmio de Almeida entre a mesa e o público que encheu o auditório, sendo possível esclarecer alguns pontos de vista, dúvidas e questões pertinentes.






17 de setembro de 2019

Núcleo APRe! Coimbra: actividades para o mês de outubro

Car@ Associad@

Convidamo-lo a participar nas actividades da APRe! previstas para o mês de Outubro, constantes do cartaz anexo.

A Coordenadora do Núcleo
Maria do Rosário Gama



14 de setembro de 2019

Lei n.º 100/2019 Aprova o Estatuto do Cuidador Informal

Lei n.º 100/2019 de 6 de Setembro


Sumário: Aprova o Estatuto do Cuidador Informal, altera o Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social e a Lei n.º 13/2003, de 21 de maio.












O diploma entrou em vigor no dia 7 de Setembro e dele consta um anexo onde se encontra toda a informação mais detalhada.


Ver mais aqui:DR. Lei nº 100/2019

6 de setembro de 2019

Conferência/Mesa Redonda sobre o tema “Segurança Social em Democracia – O futuro das pensões”

A Delegação de Lisboa da APRe! vai organizar uma Conferência/Mesa Redonda que terá lugar no próximo dia 13 de Setembro sobre o tema “Segurança Social em Democracia – O futuro das pensões”..

Esta iniciativa que merece o apoio total da Direcção ocorrerá no Auditório Orlando Ribeiro, na Estrada de Telheiras, 146 em Lisboa (Estação do Metro de Telheiras-Linha Verde) e terá início pelas 14,30 horas.

A presença de tão notáveis e prestigiados convidados, permitirá um profundo diálogo e esclarecimento de tão importante tema para a nossa Associação, em especial no momento em que se inicia o processo que conduzirá a uma nova legislatura.

Contamos com a sua imprescindível presença e participação.


3 de setembro de 2019

Conversa sobre o Estatuto do Cuidador Informal

CONVITE

O QUÊ?

Conversa sobre o Estatuto do Cuidador Informal, aprovado unanimemente por todos os partidos na Assembleia da República e já Promulgado pelo Presidente da Republica. Agora há um caminho de legislar e fazer aplicar as medidas inerentes ao Cuidador Informal. Para nos falar como primeiro Interlocutor, convidámos a ANCI, Associação Nacional dos Cuidadores Informais.

Convidamos, também, Instituições e Cidadãos interessados e solidários com a causa, a estarem presentes e participar na conversa sobre esta problemática.

QUANDO?

Dia 16 de Setembro de 2018, Segunda-feira pelas 15 horas.

Avisamos desde já que será muito desejada a sua presença!

E traga um amigo também.

ONDE?

No Auditório da Junta de Freguesia de Amora, Rua 1º de Maio 4, 2845-125 Amora.

PORQUÊ?

Porque precisamos de você connosco para debater, reflectir, e juntar mais e as melhores energias e opiniões para fazermos um caminho solidário na implementação do Estatuto do Cuidador Informal, do qual, enquanto Associação de Aposentados Pensionista e Reformados, somos, também, parte interessada.

Obrigada a todos!

O Núcleo do Seixal da APRe!